29 de agosto de 2008

Salto Angel - A Maior Cachoeira do Mundo (2º Dia)

2º Dia - 27/08/2008

A manha amanheceu no diluvio. Alias, a noite inteira choveu e fez frio nas redes. Sorte que levei o saco de dormir. Chovia tanto que era inevitavel rir da situacao: maior programao de indio! E eu estava pagando para isso. kakakaka

Somado a isso, pra variar peguei alguma infeccao de estomago (diarreia) e precisei de um remedinho milagroso para aguentar a jornada que estava por vir. Ai ai, creio que eu nao nasci no corpo ideal que a minha mente deseja.

Esperamos ateh umas 10 horas por mais uns venezuelanos que chegariam de aviao naquela tempestade. Chegaram! Aí ensacamos todas as coisas que levariamos (deixamos a maior parte das coisas no acampamento 1, e colocamos nossas capas de chuvas para entrar na canoa que nos levaria até a famosa cachoeira. Eu estava certa que a minha sorte nao me faltaria (pelo menos este era o meu discurso para o Rafael) e fiquei mentalizando um lindo sol.

Para chegar a Salto Angel sao várias horas de canoa rio acima. Pegamos muita correnteza que dava um certo medinho. Foram aproximadamente 4 horas de canoa. Suficiente para a bunda ficar achatada. ;-)

No caminho a chuva foi parando e pequenos raios de sol apareceram. Paramos tbm para almocar um marmitex básico de espaguete com atum ou frango (nao foi possível identificar exatamente). Este almoco depois me deixou demasiadamente enjoada, mas consegui sobreviver.

A navegacao pelo rio foi um momento mágico. O local é inacreditável. Parece mesmo um mundo perdido, com os tapuis (enormes montanhas que se erguem verticalmente como "mesas") contornando o rio. A floresta ao redor dava o toque final. Magnífico!

Chegamos no acampamento 2 por volta das 15 horas. Um pouco tarde para iniciar uma trilha de 1 hora dentro da floresta morro acima. Tarde pois o retorno poderia ser no escuro. :-<



No meio da trilha uma placa (estamos na metade do caminho).

A trilha é morro acima, estava bastante úmida com a chuva do período da manha e é preciso ter atencao pois é cheia de raízes. O Rafael ficou preocupado comigo pois eu estava mal de saúde, mas eu já tinha chegado até aqui e nao ia ficar para tras.

Quando finalmente chegamos ao mirante era inacreditávelmente linda a vista. Nao haviam mais nuvens que nos impedisse de ver a cachoeira de quase 1 km de altura (970 metros) e a água desta era dissipada pelo ar, criando uma atmosfera umida e fria com o vento.

Retornando ao acampamento 2, que nao tinha banheiro muito menos luz, ficamos aguardando o jantar. Nos foi servido frango assado na fogueira (quase como um churrasco), arroz e salada de batata. Delicia e perfeito para a minha recuperacao.

Esta noite foi demasiada fria, pois nosso acampamento era na beira do rio. Ventou bastante, mas eu e o Rafa estavamos com os sacos de dormir! Sorte! Pois o cobertor que nos deram nao foi suficiente.



Salto Angel - A Maior Cachoeira do Mundo (1º Dia)

1º Dia - 26/08/2008

A agencia que contactamos por telefone de Santa Helena de Uarem veio nos buscar na rodoviaria. Levou-nos ateh a agencia para acertar o pacote de 3 dias e 2 noites (1200 Bolivares Fortes = 600 reais por pessoa). Nos ofereceu café da manha no local (suco, pao rechado e iogurte com sucrilhos) como cortesia. Muito gentis. Pegamos a referencia desta agencia pelo Lonely Planet (guia internacional de viagens): Adrenaline Tours.
Outras 2 meninas apareceram para tomar cafe conosco e se juntarem na viagem. As duas eram de Londres: Hanna e Carry.

Fomos para o aeroporto e la juntou-se a nos mais uma garota, esta italiana: Eliza. O Rafa estava "bendito" entre as mulheres. ;-)
Ainda no aeroporto, eu nao queria pensar muito no que ia ter que enfrentar: um pequeno monomotor, com apenas 6 lugares (incluso o do piloto). Lembranças tristes da experiencia em Nazca/ Peru vieram à mente! Sem pensar nas hipóteses de falha mecanica, estrutural ou de falta de manutençao, foquei-me nas estatisticas que "comprovam" morrer mais pessoas em estradas do que na aviaçao. La fomos nós, numa viagem de teco teco de aproximadamente 1 hora e 10 minutos infinitos. Fora isso a vista do alto era linda a 2 mil metros sobrevoando florestas e lagos.
É importante explicar que para Canaima (base para Salto Angel), nao é possível chegar de carro devido aos inúmero rios e lagos até a regiao. Óbvio! Do contrário eu teria ido de carro!! ;-)
Chegando no pequeno aeroporto de Canaima, havia uma guia nos esperando. Pagamos a entrada do parque (35 BF / pessoa), e o indio que cuidava do ticket já quis nos passar a perna no troco. Demos 80 bolivares e ele ficou enrolando para que esquecessemos do troco. Nao funcionou conosco, mas com a londrina Hanna sim... Mas so vimos depois que ela foi enrolada.
Fomos entao para nosso 1º acampamento. Escolhemos 2 redes e largamos as mochilas ao lado. Sim, teriamos que dormir as 2 próximas noites em redes como os indios. O comico eh que os indios que ali trabalhavam (limpando, cozinhando ou pilotando carro ou barco), dormiam em comodos separados com paredes que eu fui conferir: domiam em camas! hahahaha Nossas redes ficavam em baixo de um grande telhado, mas sem paredes.
Como chegamos por volta das 10:30 horas no acampamento, tivemos tempo de passar uma hora na praia da lagoa de Canaima. Na verdade o Rafael ficou no acampamento lendo mais um livro do Gabriel Garcia Marques e eu fui aproveitar a praia com as meninas.
Almoçamos um PF simples, mas gostoso.
Às 14:30 horas fomos para uma canoa e do outro lado da lagoa fizemos uma pequena trilha de 20 minutos para alcançarmos uma cachoeira muito impressionante - Salto Sapo (ainda nao era a mais alta do mundo!).
Esta nao era alta, mas larga e havia um enorme tunel por debaixo da queda onde era possivel passar para o outro lado. Numa das partes fiquei com enorme dificuldade de andar, pois nao conseguia abrir os olhos com as lentes de contato: era muita água batendo na cabeça. A guia me levou cega para o outro lado, morrendo de medo de pisar no lugar errado e ir junto com a cachoeira abaixo. UFA!
Este dia terminou de forma muito agradavel.
Para ver algumas fotos destes locais vejam o link abaixo (prometo em breve colocar as minhas aqui):

http://www.venezuelatuya.com/canaima/indexpor.htm

Santa Helena de Uarem

No dia 25 cruzamos a fronteira Brasil - Venezuela. Nem preciso dizer que o predio brasileiro era fuleiro mesmo! Parecia construçao do velho oeste com o calor "daqueles"! Esperando ver algo pior na Venezuela na hora de carimbar o passaporte de entrada, fiquei surpresa: um baita predio chique, com ar condicionado, mas com uma antipatia generosa e uma negativa basica para usar o banheiro. Eita!
O Joao nos deu uma carona ateh Santa Helena de Uarem, visto que eh relativamente perto de Boa Vista e somado a isto, esta pequena cidade eh o "Paraguai" do norte do Brasil. Aqui se compra de tudo e como o Joao estah "gravido" de mais um herdeiro, foi conosco com a esposa para comprar alguns pacotes de fraldas e aproveitar tambem para abastecer o carro por miseros centavos o litro... Viva o socialismo Venezuelano! ;-)
Na fronteira tambèm eh o local para cambio. O Real estah valendo bastante e conseguimos um cambio de 2 bolivares fortes para cada 1 real.
Fora isso esta cidade nao tem nada mais para ver. Fomos na rodoviaria comprar nossa passagem de onibus para Ciudad Bolivar, nosso ponto de partida para Salto Angel!

26 de agosto de 2008

Boa Vista - Roraima

Esta capital desconhecida de um estado brasileiro mais desconhecido ainda me surpreendeu. Logo que sobrevoamos a cidade para aterrissar (dia 23/08/08), vi uma cidade toda bem desenhada do alto (mais uma cidade brasileira planejada), com bairros bem arborizados. Isto me chamou a atençao devido a diferença com Palmas, uma cidade árida devido ao clima do centro do Brasil.
Nas ruas muitas caminhonetes, visto que ainda ha muita estrada de chao por aqui.
Gostei da praça Ayrton Senna, uma enorme avenida com entretenimentos: quadras de basquete, tennis, futebol de areia, parques infantis, pista de kart, pista de bicicross, pista de skate, bares e restaurantes e pista para caminhada/ corrida e bicicleta. Basta um bom planejamento para criar um ambiente agradável e social. Por que nao fazem isso na avenida sul da Beira-Mar?!
Ha um bom cinema na cidade também (com 5 salas), do qual o dono é amigo do Rafael: o Joao da época do paraquedismo.
No domigo, dia 24, fomos tomar cafe da manha com o Joao e sua família (esposa e filha) num haras fora da cidade. Este local pertence a um Suiço que vive de rendas do exterior (ONG), para que ele salve a Amazonia. Para isso, ele compra pedaços de terra da Amazonia, para cuidar e la vive. Nada mal... Este local é belíssimo, e o buffet também impressiona (R$ 20 livre). Comi muita paçoca (carne seca com farinha amarela) e tapioca. hummm
Depois foi passar o dia no Aqua Mak, o parque de águas do Joao. Várias piscinas, bóias, lagoas,... Dia para descansar!
A noite jantamos na avenida Ayrton Senna.

PS: fora as questoes positivas identificadas neste estado, nao posso deixar de comentar que pelo pouco que vi é possível identificar um desleixo no cumprimento das leis e da ética. Ninguém usa cinto de segurança, todos querem um "lugarzinho ao sol" num cargo político (e é claro que sem trabalhar!), pilantragem rola solta. Foram tantas as historias inacreditáveis que ouvi, entre elas é de que rola uns pilantras divulgando show de gente famosa na regiao. Começam entao a vender ingressos, com dia e hora marcada. Depois o safado desaparece! Como ninguém (nem a Globo) sabe e nem quer saber nada sobre Roraima, nem os artistas ficam sabendo que o seu nome foi usado para golpes. Fica por isso mesmo...
Related Posts with Thumbnails